Ciclistas exigem uma solução imediata para a Av. Marquês de Paraná

A conexão cicloviária na Av. Marquês de Paraná – trajeto obrigatório entre os bairros e o centro – foi prometida aos ciclistas pela Prefeitura de Niterói ainda em 2015, ocasião em que foi testada (com sucesso) uma ciclofaixa provisória no contra-fluxo que operou durante algumas poucas semanas e foi suspensa justamente no Dia Mundial Sem Carro (22/09).

O levantamento vai ajudar na elaboração do projeto definitivo da ciclofaixa, que deve ser construída até o fim do ano. [Jornal O Fluminense, 2015]

Este slideshow necessita de JavaScript.

A solução definitiva nunca foi implementada, apesar do elevado número de bicicletas que trafegam diariamente neste trecho. Não existe sequer sinalização (placas) indicando a presença de ciclistas na via ou determinando a redução de velocidade dos veículos motorizados. As condições enfrentadas pelos pedestres é ainda pior, sobretudo após o início das obras de construção de um shopping center no local.

Como resultado desta situação, temos diariamente nossos direitos negados, conflitos e vítimas. Muitas vítimas!

Uma delas foi a ciclista Paola (34 anos, advogada) que no dia 08/03/17 foi violentamente atropelada por um coletivo mas que apesar de sofrer um grave corte na cabeça e muitas escoriações pelo corpo, conseguiu sobreviver.

paola

A vítima fez um relato emocionado nas redes sociais que causou comoção e solidariedade entre os ciclistas da cidade e de todo o país.

“Logo após atravessar a Rua Dr. Celestino e seguir pela ciclovia fictícia, veio um ônibus da Viação Ingá, 31, buzinando insistentemente na minha traseira, naquela hora pedalei o mais rápido que podia para tentar alcançar logo a calçada do Hortifruti, já que naquele momento não tinha outra opção, mas inacreditavelmente o motorista jogou a lateral do ônibus para cima de mim que me pressionou junto a calçada, que como era alta não me derrubou imediatamente, assim fiquei batendo com minha cabeça e corpo por diversas vezes na lataria do ônibus até minha bicicleta entrar debaixo da roda e eu ser arremessada no chão…”

NÃO PODEMOS MAIS ESPERAR

Diante do silêncio da mídia local e da Prefeitura de Niterói, o Pedal Sonoro lançou um abaixo-assinado online para cobrar dos gestores municipais uma solução imediata, a fim de garantir o aumento da segurança dos ciclistas nesta via, para que atropelamentos como este não se repitam e que possamos pedalar com um mínimo tranquilidade, conforme garantido por LEIS FEDERAIS (Código de Trânsito Brasileiro / Plano nacional de Mobilidade Urbana).

Conheça os responsáveis diretos pela insegurança a que somos submetidos diariamente e destinatários deste abaixo-assinado, conforme o seu grau de responsabilidade:

gestores

Rodrigo Neves (Prefeito), Axel Grael (Secretário Executivo e idealizador do programa Niterói de Bicicleta), Renato Barandier (Secretário de Urbanismo e Mobilidade) e Paulo Afonso Cunha (Presidente da NitTrans).

Cabe ressaltar que a atual gestão assinou a Carta Compromisso pela Mobilidade Ativa durante a campanha Bicicleta nas Eleições em 2016 mas, até o presente momento, não implementou nenhuma das 10 propostas, incluindo a de “implantar, com urgência, a conexão cicloviária Zona Sul – Centro – Zona Norte (Avenidas Marquês de Paraná – Jansen de Melo), por meio de estrutura segregada do trânsito de veículos motorizados.”

arte_site

Contamos com a sua colaboração, assim como de iniciativas e organizações, para reunirmos o maior número de assinaturas possíveis em uma semana para exigirmos, juntos, uma solução imediata junto à Prefeitura de Niterói para esta situação dramática.

ASSINE E COMPARTILHE!

Projeto da Marquês de Paraná segue desconhecido pelos ciclistas

Ao que tudo indica, a conexão cicloviária que será implantada pela Prefeitura de Niterói a partir do mês dezembro, através de outorga onerosa em função de um grande shopping center na Av. Marquês de Paraná, apresenta 2 problemas cruciais: a exclusão da Zona Norte e a opção pela calçada compartilhada.

ZONA NORTE EXCLUÍDA

Contrariando o que foi ao prometido pela própria prefeitura, ao longo dos últimos anos, o projeto (ainda desconhecido por nós) não contempla a Zona Norte. Nada foi dito sobre a Av. Jansen de Melo e a conexão da Av. Amaral Peixoto à Rua São Lourenço, via com ciclofaixa e grande presença de ciclistas. Confira, abaixo, as promessas da prefeitura:

Interligar Região Oceânica, Praias da Baía de Guanabara, Zona Norte e Pendotiba com a malha de ciclovias.

Campanha Eleitoral 2012: Rodrigo Neves / Axel Grael

Entregar a malha cilcoviária pronta e completa ligando a Zona Norte e a Zona Sul à Marques do Paraná até o final do ano de 2015

Audiência Pública / Sistema Cicloviário (06/08/15)

Esta ciclofaixa vai ligar a ciclovia da Avenida Roberto Silveira à da Rua São Lourenço, facilitando o acesso tanto dos ciclistas da Zona Sul, como os da Zona Norte, ao Centro da cidade. O funcionamento provisório servirá como teste para a futura implantação de infraestrutura cicloviária permanente nesta via.

Guia de Niterói (31/08/2015)

Agora, assista à fala do prefeito Rodrigo Neves no dia do aniversário da cidade (22/11/17), durante a solenidade de assinatura do contrato para o início das obras.

CICLOVIA OU CALÇADA COMPARTILHADA?

De acordo com a imagem do banner utilizada na própria apresentação e  uma outra imagem que circula na internet, tudo leva a crer que os planos desta gestão é implantar uma calçada compartilhada no local ao invés da ciclovia, conforme prometido e anunciado nos meios de comunicação ao longo dos últimos anos.

banner
reprodução / banner
shopping.png
reprodução / internet

Recentemente postamos em nosso blog a visita técnica que fizemos às obras da TransOceânica e demostramos, na prática, que além de contraiar a definição de ciclovia do Código de Trânsito Brasileiro, a calçada compartilhada NÃO ATENDE à circulação dos ciclistas da cidade. 

MOBILIZAÇÃO

Na semana passada solicitamos ao programa Niterói de Bicicleta, copiando diversas iniciativas e associações, o projeto executivo desta intervenção. No entanto, recebemos como resposta que o nosso pedido seria encaminhado à Secretaria de Mobilidade e Urbanismo (SMU), a responsável pela obra (e-mail abaixo).

niteroi de bicicleta.png

A partir desta segunda feira, cobraremos dos mandatos que assumiram o compromisso legislativo pela mobilidade ativa em 2016 que encaminhem ofícios e/ou indicações legislativas à SMU solicitando, em regime de urgência, o projeto executivo para que este seja finalmente conhecido pelos ciclistas da cidade.

Aguardem as cenas dos próximos capítulos.

Compartilhe este post e colabore na mobilização!

 

banner.png

CicloExperiência 2018: conheça a campanha de financiamento coletivo (crowdfunding) COLABORE a partir de R$15 e receba recompensas!