CicloExperiência 2018: programação

Olá galera! Segue a programação completa da CicloExperiência 2018. Cabe lembrar que a programação ainda pode sofrer pequenos ajustes para incluirmos eventualmente alguma nova atividade. Sejam bem vindxs!

mesas.png

10h | Eventos Rio 2018: Velocity, Bicicultura, e 100gurias100medo (Gabriela Binatti e Zé Lobo/Transporte Ativo e Naomi Orton/100gurias100medo)

11h | Ciclismo de Alto Rendimento (Cláudio Santos/Amazonas Bike)

11h30 | Paraciclismo no Brasil para todos (Edson Nascimento/Equipe Assim Saúde)

12h | Rio Por Inteiro: mobilidade e mobilização (Vitor Mihessen/Casa Fluminense)

14h | Bicicleta Nos Planos (André Geraldo Soares/UCB-União de Ciclistas do Brasil – Florianópolis/SC e Rogério Gama/SMU-Secretaria Municipal de Urbanismo e Mobilidade)

15h | ACERJ – Associação de Ciclistas de Estado do Rio de Janeiro (Marcelo Leal / Ativo Sports)

16h | Sustentabilidade (Keny Tanizaki/UFF, Isa Boechat/Lix Soluções Sustentáveis)

17h | La Frida: Preta, vem de Bike! (Lívia Suarez / coletivo La Frida – Salvador-BA)

OBS: acessível em LIBRAS – Lingua Brasileira de Sinais

oficinas.png

08h30, 09h30 e 10h30 | Acolhida Rare Trip Cicloturismo (Praça Araribóia)

10/13h | Escola Bike Anjo (EBA) + Jogos de Bicicleta (atividade infantil)

11h | Mecânica de Bici p/ Mulheres (BiciPersé)

11h | Plaquinhas artesanais para bicicleta (Pedal Sonoro)

12h | Mecânica Básica de Bicicleta (Bike Haus)

15h | Calçada Cilada (CaminhaRio)

15h | Mecânica Básica de Bicicleta (Garage Bike)

15/16h | Bambolê com o coletivo O Círculo

16h | Pimp Your Bike – customização de bicicletas (Marina Prada/Ateliê Bike Crochê – Recife/PB)

16h | Ciclo Orçamentário (MobiRio)

19h | Bicicletada Musical (Pedal Sonoro)

20h | Festa de Confraternização no Cicloponto Icaraí (calçadão da praia, em frente à Reitoria/UFF)

Ao Longo de todo o dia: Ciclofeira (gastronomia, moda e acessórios) / Exposição e econtro de Bicicletas Antigas / Webrádio Pedal Sonoro / Sarau Coletivo Com Versar / Coletivo Audiovisual Bicho do Mato/UFF / Retirada de recompensas da campanha de crowdfunding na barraquinha do Pedal Sonoro

rodas de conversa.png

11h | Cicloturismo

11h | Ciclovia da  Marquês de Paraná – Trecho Norte Amaral Peixoto e São Lourenço (Niterói de Bicicleta)

12h | Ciclomobilidade e Genero (100 Gurias 100 medo, La Frida, Pedal Maravilha, Pedal Sonoro)

15h | Lutas Urbanas (Casa Fluminense, Coletivo Virginia Bicudo, Fórum de Políticas Urbanas, Lagoa Para Sempre, MobiRio, Pedal Sonoro)

15h | Entregas de Bicicleta (Courrier)

16h | Bicicleta No Subúrbio (Piratas de Bici)

16h | Grupos de Pedal (Papo de Bicicleta, São Gonçalo Bike Clube, Santa Izabel Bike Clube, Ciclistas de Niterói, Amigos do Pedal/São Fidélis)

musica.png

09h | Elias Rosa – ATMA

11h | Duo Instrumental c/ Marcelo Nestler e Fábio Muniz

13h | Plá Curitiba

15h | Tomba Dub

18h | Lorena Gomes & Desirée Brito

Você decide: Eric Clapton x Stevie Wonder

O coletivo Pedal Sonoro promove uma enquete no facebook para escolher o homenageado de nossa próxima bicicletada musical: Eric Clapton x Stevie Wonder!

A escolha não é nada fácil, uma vez que ambos são grandes músicos com décadas de carreira. Saiba mais e faça (na medida do possível) sua escolha!

csm_eric-clapton_d1679e04df.jpg

Embora o seu estilo musical tenha variado ao longo de sua carreira, Clapton sempre teve as suas raízes ligadas ao blues. Clapton foi considerado inovador pelos críticos em várias fases distintas de sua carreira, atingindo sucesso tanto de crítica quanto de público e tendo várias canções listadas entre as mais populares de todos os tempos, tais como “Layla“, “Wonderful Tonight” e a regravação de “I Shot the Sheriff“, de Bob Marley.

Captura de Tela 2018-03-30 às 03.13.02.png
saiba mais

 

22238vcsyq6nvny2.jpg

Um dos maiores músicos da contemporaneidade, iniciou a carreira muito cedo. Assinou contrato com a Tamla Records, selo da Motown Records aos onze anos e continua com a mesma até hoje. Gravou mais de trinta sucessos que alcançaram o top ten e ganhou vinte e cinco Grammy Awards, o maior número já ganho por um artista masculino na história.

Contamos com a sua participação e informaremos a data da bicicletada em breve!

fonte: wikipedia

 

Ciclistas exigem uma solução imediata para a Av. Marquês de Paraná

A conexão cicloviária na Av. Marquês de Paraná – trajeto obrigatório entre os bairros e o centro – foi prometida aos ciclistas pela Prefeitura de Niterói ainda em 2015, ocasião em que foi testada (com sucesso) uma ciclofaixa provisória no contra-fluxo que operou durante algumas poucas semanas e foi suspensa justamente no Dia Mundial Sem Carro (22/09).

O levantamento vai ajudar na elaboração do projeto definitivo da ciclofaixa, que deve ser construída até o fim do ano. [Jornal O Fluminense, 2015]

Este slideshow necessita de JavaScript.

A solução definitiva nunca foi implementada, apesar do elevado número de bicicletas que trafegam diariamente neste trecho. Não existe sequer sinalização (placas) indicando a presença de ciclistas na via ou determinando a redução de velocidade dos veículos motorizados. As condições enfrentadas pelos pedestres é ainda pior, sobretudo após o início das obras de construção de um shopping center no local.

Como resultado desta situação, temos diariamente nossos direitos negados, conflitos e vítimas. Muitas vítimas!

Uma delas foi a ciclista Paola (34 anos, advogada) que no dia 08/03/17 foi violentamente atropelada por um coletivo mas que apesar de sofrer um grave corte na cabeça e muitas escoriações pelo corpo, conseguiu sobreviver.

paola

A vítima fez um relato emocionado nas redes sociais que causou comoção e solidariedade entre os ciclistas da cidade e de todo o país.

“Logo após atravessar a Rua Dr. Celestino e seguir pela ciclovia fictícia, veio um ônibus da Viação Ingá, 31, buzinando insistentemente na minha traseira, naquela hora pedalei o mais rápido que podia para tentar alcançar logo a calçada do Hortifruti, já que naquele momento não tinha outra opção, mas inacreditavelmente o motorista jogou a lateral do ônibus para cima de mim que me pressionou junto a calçada, que como era alta não me derrubou imediatamente, assim fiquei batendo com minha cabeça e corpo por diversas vezes na lataria do ônibus até minha bicicleta entrar debaixo da roda e eu ser arremessada no chão…”

NÃO PODEMOS MAIS ESPERAR

Diante do silêncio da mídia local e da Prefeitura de Niterói, o Pedal Sonoro lançou um abaixo-assinado online para cobrar dos gestores municipais uma solução imediata, a fim de garantir o aumento da segurança dos ciclistas nesta via, para que atropelamentos como este não se repitam e que possamos pedalar com um mínimo tranquilidade, conforme garantido por LEIS FEDERAIS (Código de Trânsito Brasileiro / Plano nacional de Mobilidade Urbana).

Conheça os responsáveis diretos pela insegurança a que somos submetidos diariamente e destinatários deste abaixo-assinado, conforme o seu grau de responsabilidade:

gestores

Rodrigo Neves (Prefeito), Axel Grael (Secretário Executivo e idealizador do programa Niterói de Bicicleta), Renato Barandier (Secretário de Urbanismo e Mobilidade) e Paulo Afonso Cunha (Presidente da NitTrans).

Cabe ressaltar que a atual gestão assinou a Carta Compromisso pela Mobilidade Ativa durante a campanha Bicicleta nas Eleições em 2016 mas, até o presente momento, não implementou nenhuma das 10 propostas, incluindo a de “implantar, com urgência, a conexão cicloviária Zona Sul – Centro – Zona Norte (Avenidas Marquês de Paraná – Jansen de Melo), por meio de estrutura segregada do trânsito de veículos motorizados.”

arte_site

Contamos com a sua colaboração, assim como de iniciativas e organizações, para reunirmos o maior número de assinaturas possíveis em uma semana para exigirmos, juntos, uma solução imediata junto à Prefeitura de Niterói para esta situação dramática.

ASSINE E COMPARTILHE!

Bicicleta e Saúde Pública #01

Pedalar é, sem dúvida, a atividade física perfeita para promover a saúde das pessoas, das comunidades e do planeta. Quanto mais pessoas deixam de comprar e usar carros nas cidades e passam a usar a bike em seus deslocamentos diários, melhor é a qualidade do ar local, além de contribuírem para mitigar a mudança do clima.

Ao pedalar, as pessoas se beneficiam física e mentalmente, diminuindo o risco de sofrer e morrer de doenças cardiovasculares, diabetes, vários tipos de câncer, depressão, entre outras doenças.

Captura de Tela 2018-01-31 às 00.05.39.png

Por que integrar as políticas de saúde pública com políticas de promoção de mobilidade por bicicleta?

Bike como meio de transporte não deixa de ser exercício físico, trazendo benefícios para a saúde física e mental das pessoas e aumento da expectativa de vida;

Mesmo em cidades poluídas, os benefícios de pedalar são maiores que os danos causados pela eventual exposição à poluição durante o exercício;

Melhoria na saúde mental;

Menos congestionamentos, menos estresse e mais tempo para outras atividades
Ruas mais agradáveis à circulação de pessoas e maior interação social;

Redução da poluição atmosférica e sonora Redução de acidentes e mortes de trânsito;

Combate ao sedentarismo infantil;

Redução de faltas no trabalho por motivos de saúde;

Redução de pessoas trabalhando doentes, gerando perda de produtividade, saúde debilitada, exaustão e surtos de epidemias no ambiente de trabalho.

ciclovia-niteroi.jpg
imagem: O Globo Niterói

A bicicleta como fator de melhoria da saúde

Melhora equilíbrio, força muscular, flexibilidade e coordenação motora;

Controle de peso e combate à obesidade, inclusive infantil Transporte ativo por bicicleta pode ser praticado por pessoas;

de todas as idades por ser um exercício de baixo impacto;

Saúde mental: como qualquer exercício físico, pedalar ajuda a combater a depressão, estresse e ansiedade.

 

Incentivar o maior número possível de trabalhadores a pegar a bicicleta precisa se transformar em uma prioridade máxima para os municípios e governos. Estudo publicado em abril de 2017 no British Medical Journal com 263.450 pessoas constatou que aquelas que iam para o trabalho pedalando tiveram um risco 52% menor de morrer de doença cardíaca e um risco 40% menor de morrer de câncer. Além disso, o risco de desenvolver uma doença cardíaca foi 46% inferior, e o de desenvolver câncer, 45% menor. Caminhar para o trabalho não estava associado com um menor risco de morrer por nenhuma dessas causas. Ou seja, pedalar é mais benéfico que andar.

 

Para acessar o material completo da campanha Bicicleta nos Planos, clique aqui

 

Pedal Sonoro | Woodstock

Nesta primeira edição de 2018, vamos revisitar o maior festival de música de todos os tempos: Woodstock!

Venha pedalar e ocupar as ruas da cidade ao som de Creedence, Graateful Dead, Janis Joplin, Joe Cocker, Jimi Hendrix, Santana, The Who e muito mais…

festival-woodstock.jpg

Carlos-Santana-David-Brown-Santana-1969.jpg
Carlos Santana

Woodstock Music & Art Fair (conhecido informalmente como Woodstock ou Festival de Woodstock) foi um festival de música realizado entre os dias 15 e 18 de agosto de 1969 na fazenda de Max Yasgur na cidade de Bethel, no estado de Nova York, Estados Unidos.

Anunciado como “Uma Exposição Aquariana: 3 Dias de Paz & Música”, o festival deveria ocorrer originalmente na pequena cidade de Wallkill, mas os moradores locais não aceitaram, o que levou o evento para a pequena Bethel, a uma hora e meia de distância.

O festival exemplificou a era da contracultura do final da década de 1960 e começo de 70. Trinta e dois dos mais conhecidos músicos da época apresentaram-se durante um fim de semana por vezes chuvoso, para 400 mil espectadores. Apesar de tentativas posteriores de reeditar o festival, o evento original provou ser único e lendário, reconhecido como um dos maiores momentos na história da música.

DanGarson_jimi10.jpg
The Jimi Hendrix Experience

wood_3_0.jpg

concentração: 9h da manhã | saída: 10h
CICLOPONTO ICARAÍ [calçadão da praia, em frente à Reitoria/UFF]

para acessar o evento no facebook, clique aqui

 

banner.png

CicloExperiência 2018: conheça a campanha de financiamento coletivo

 COLABORE a partir de R$15 e receba recompensas incríveis!

Pedal Sonoro | Retrospectiva 2017 [09/12]

Em 2017 promovemos nada menos que 26 atividades GRATUITAS de ciclomobilidade e participamos de diversos eventos em Niterói , Rio de Janeiro e do Bicicultura 2017 em Recife (PE).

Foram 18 bicicletadas musicais, 2 cineclubes, CicloMobiliTarde, Pedalzinho Sonoro, Mão na Roda – oficina colaborativa de mecânica e, claro, a CicloExperiência que reuniu mais de 500 pessoas no Museu do Ingá.

Para acessar todas as nossas atividades realizadas, clique aqui

Nada mais justo do que a gente recordar e celebrar mais um ano de muito trabalho e realizações. Seja bem vindo(a) ao último rolé do ano!

24774940_1218308011603514_468794614148061999_n.png

Concentração às 17h / saída às 18h
Local: Cicloponto Icaraí [calçadão da praia, em frente à Reitoria/UFF]

Não é necessário inscrições nem cadastro, basta colar junto com a sua magrela!

INFORMAÇÕES IMPORTANTES:

1) Durante a bicicletada, observe e mantenha-se dentro do perímetro estabelecido pela equipe de apoio. Evite pedalar à frente ou atrás do pelotão. Respeite os limites das faixas de rolamento dos carros quando houver orientação;

2) Jamais pedale sobre as calçadas, ela é EXCLUSIVA dos pedestres;

3) Não pedale fazendo manobras, tirando fotos ou bebendo. Isso pode ocasionar um esbarrão em outros ciclistas, causando acidentes;

4) Durante o passeio, evite que se criem grandes espaços entre as bicicletas (buracos). Ao pedalarmos em um grupo compacto, evitamos que motos e carros consigam entrar no meio pelotão, colocando nossa segurança em risco;

5) Se você colaborar na formação de “rolhas”, procure ser simpáticx com xs motoristas;

6) A fim de evitarmos paradas desnecessárias, verifique as condições de sua bicicleta e, caso seja necessário, leve-a a um cicle da cidade. Nós indicamos o Garage Bike em Icaraí e o Bretas Bike Peças E Acessórios Ltda-Me no Largo da Batalha;

7) Não recomendamos que crianças menores de 10 anos e/ou ainda sem domínio da bicicleta participem pedalando. Contamos com a colaboração do pais / responsáveis.
Uma excelente pedalada a todas e todos!

banner.png

CicloExperiência 2018: conheça a campanha de financiamento coletivo (crowdfunding) COLABORE a partir de R$15 e receba recompensas!

Projeto da Marquês de Paraná segue desconhecido pelos ciclistas

Ao que tudo indica, a conexão cicloviária que será implantada pela Prefeitura de Niterói a partir do mês dezembro, através de outorga onerosa em função de um grande shopping center na Av. Marquês de Paraná, apresenta 2 problemas cruciais: a exclusão da Zona Norte e a opção pela calçada compartilhada.

ZONA NORTE EXCLUÍDA

Contrariando o que foi ao prometido pela própria prefeitura, ao longo dos últimos anos, o projeto (ainda desconhecido por nós) não contempla a Zona Norte. Nada foi dito sobre a Av. Jansen de Melo e a conexão da Av. Amaral Peixoto à Rua São Lourenço, via com ciclofaixa e grande presença de ciclistas. Confira, abaixo, as promessas da prefeitura:

Interligar Região Oceânica, Praias da Baía de Guanabara, Zona Norte e Pendotiba com a malha de ciclovias.

Campanha Eleitoral 2012: Rodrigo Neves / Axel Grael

Entregar a malha cilcoviária pronta e completa ligando a Zona Norte e a Zona Sul à Marques do Paraná até o final do ano de 2015

Audiência Pública / Sistema Cicloviário (06/08/15)

Esta ciclofaixa vai ligar a ciclovia da Avenida Roberto Silveira à da Rua São Lourenço, facilitando o acesso tanto dos ciclistas da Zona Sul, como os da Zona Norte, ao Centro da cidade. O funcionamento provisório servirá como teste para a futura implantação de infraestrutura cicloviária permanente nesta via.

Guia de Niterói (31/08/2015)

Agora, assista à fala do prefeito Rodrigo Neves no dia do aniversário da cidade (22/11/17), durante a solenidade de assinatura do contrato para o início das obras.

CICLOVIA OU CALÇADA COMPARTILHADA?

De acordo com a imagem do banner utilizada na própria apresentação e  uma outra imagem que circula na internet, tudo leva a crer que os planos desta gestão é implantar uma calçada compartilhada no local ao invés da ciclovia, conforme prometido e anunciado nos meios de comunicação ao longo dos últimos anos.

banner
reprodução / banner
shopping.png
reprodução / internet

Recentemente postamos em nosso blog a visita técnica que fizemos às obras da TransOceânica e demostramos, na prática, que além de contraiar a definição de ciclovia do Código de Trânsito Brasileiro, a calçada compartilhada NÃO ATENDE à circulação dos ciclistas da cidade. 

MOBILIZAÇÃO

Na semana passada solicitamos ao programa Niterói de Bicicleta, copiando diversas iniciativas e associações, o projeto executivo desta intervenção. No entanto, recebemos como resposta que o nosso pedido seria encaminhado à Secretaria de Mobilidade e Urbanismo (SMU), a responsável pela obra (e-mail abaixo).

niteroi de bicicleta.png

A partir desta segunda feira, cobraremos dos mandatos que assumiram o compromisso legislativo pela mobilidade ativa em 2016 que encaminhem ofícios e/ou indicações legislativas à SMU solicitando, em regime de urgência, o projeto executivo para que este seja finalmente conhecido pelos ciclistas da cidade.

Aguardem as cenas dos próximos capítulos.

Compartilhe este post e colabore na mobilização!

 

banner.png

CicloExperiência 2018: conheça a campanha de financiamento coletivo (crowdfunding) COLABORE a partir de R$15 e receba recompensas!