Rádio Pedal Sonoro | Fala Ciclista

O coletivo Pedal Sonoro colocou no ar há 3 semanas a (web) RÁDIO PEDAL SONORO que tem como objetivo proporcionar música de qualidade e informação relevante para quem pedala as cidades. Este será um canal a serviço dos ciclistas, cicloativistas, grupos de pedal e das pessoas e iniciativas que lutam pelo direito à cidade.

A iniciativa surgiu em função da CicloExperiência 2018, realizada no dia 21/04 no Teatro Popular Oscar Niemeyer em Niterói que contou com a participação convidados de outros estados. Nesta ocasião, a Rádio Pedal Sonoro fez uma cobertura ao vivo do encontro e contou com mais de 160 ouvintes ao longo do dia.

Avaliamos internamente e estamos investindo/insistindo nesta proposta, participando de eventos e atividades como, por exemplo, o Bicicultura 2018.

No entanto, temos plena consciência de que para esta iniciativa se estabelecer e alcançar legitimidade, necessitamos da sua colaboração: esta rádio é (precisa ser) nossa!

fala ciclista.png

PARA QUEM PEDALA A CIDADE | FALA CICLISTA

Grave um áudio diretamente através do nosso whatsapp!

21 9950-23725

  1. evite expressões como “bom dia”, “boa tarde” e “boa noite”, pois este depoimento vai entrar ao longo de toda a nossa programação;
  2. se apresente (nome, bairro e/ou cidade, profissão, etc);
  3. fale da sua relação com a bicicleta (desde quando pedala, pra quê, por quê, etc) e como é pedalar na sua cidade;
  4. procure ser objetivo, grave em um local silencioso e não ultrapasse 1min30s de depoimento;

EXEMPLO 01

EXEMPLO 02

 

CONTAMOS COM A SUA COLABORAÇÃO

bora.png

 

 

Av. Marquês de Paraná segue sem segurança

Já se passaram mais de 45 dias desde o atropelamento da ciclista Paola Barrozo por um coletivo na Av. Marquês de Paraná e de outros dois atropelamentos em 48h, fatos que geraram uma grande indignação e mobilização entre os ciclistas de Niterói porém, até o momento, quase nada foi feito pela Prefeitura de Niterói para aumentar a segurança de quem pedala nesta via.

28950886_1693308984068688_8336913314063843328_n

Logo após atravessar a rua Dr. Celestino e seguir pela ciclovia fictícia, veio um ônibus da viação Ingá, 31, buzinando insistentemente na minha traseira, naquela hora pedalei o mais rápido que podia para tentar alcançar logo a calçada do Hortifruti, já que naquele momento não tinha outra opção, mas inacreditavelmente o motorista jogou a lateral do ônibus para cima de mim que me pressionou junto a calçada, que como era alta não me derrubou imediatamente, assim fiquei batendo com minha cabeça e corpo por diversas vezes na lataria do ônibus até minha bicicleta entrar debaixo da roda e eu ser arremessada no chão. (Paola Barrozo)

 

Os relatos das vítimas postados nas redes sociais motivaram a criação de um abaixo-assinado que repercutiu nos meios de comunicação e a elaboração de ofícios e indicações legislativas ao poder público, cobrando uma solução imediata da prefeitura a fim de garantir a segurança dos ciclistas, direito assegurado pelo Código de Trânsito Brasileiro. Dentre as propostas indicadas, destacam-se:

  1. sinalização ostensiva, indicando a presença de ciclistas na via;
  2. redução da velocidade na via;
  3. fiscalização eletrônica de velocidade;
  4. infra estrutura temporária (ciclofaixa na reversível)

 

Este trecho da Av. Marquês de Paraná com apenas 1.2km é conexão fundamental entre as Zonas Norte/Sul e o centro da cidade que, segundo contagem de ciclos realizada em set/2016 pelo grupo Mobilidade Niterói, apresentou uma média de 280,5 vidas/hora. Cabe lembrar que a atual gestão reeleita, sob o comando do prefeito Rodrigo Neves, prometeu uma infra-estrutura cicloviária definitiva no local para o ano de 2015.

MAPA_amaral.png

Recentemente estivemos na Av. Marquês de Paraná e verificamos a instalação de 3 simples placas com a imagem de uma bicicleta, apenas no trecho entre a R. Doutor Celestino e Av. Roberto Silveira, e no sentido Zona Sul. Tal sinalização não existe no sentido Centro/Zona Norte. Também chegou ao nosso conhecimento a retomada da ciclofarsa de cones, uma operação da NitTrans absolutamente mal executada e ineficaz no sentido de garantir a segurança dos ciclistas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Acreditamos que esta medida foi adotada apenas para dar uma satisfação à sociedade, pois estas placas não comunicam nada aos motoristas e algumas estão escondidas sob as árvores. NADA MUDOU neste perigoso trecho!

Sempre defendemos junto à Prefeitura de Niterói, seja na sinalização ou nas poucas pseudos campanhas educativas realizadas, mensagens diretas e objetivas que sejam capaz de gerar alguma mudança de comportamento dos condutores:

ATENÇÃO: CICLISTAS NA VIA

RESPEITE 1,5m

PRIORIDADE DO CICLISTA

20180425_124451
Por que não pode ser assim? Pra reversível tem, né…

Cabe ressaltar que o Código de Trânsito Brasileiro (1996) municipaliza a gestão do trânsito e determina que o prefeito, secretários e gestores são diretamente responsáveis por assegurar o seu direito, seja ele caminhar, pedalar ou queimar óleo.

Estes são os responsáveis diretos por esta situação e pela sua insegurança cotidiana nas ruas de Niterói (por grau de responsabilidade):

gestores.png

Prefeito Rodrigo Neves | Secretário Executivo Axel Grael

Secretário de Imobilidade e Urbanismo – Renato Barandier

Poeta e Presidente da NitTrans – Coronel PM Paulo Afonso Cunha

 

CONTAMOS COM A SUA PARTICIPAÇÃO: a omissão e o descaso desta gestão já foram longe demais. A próxima vítima pode ser você!

ASSINE E COMPARTILHE o abaixo-assinado (é somente até domingo) e faça circular esta informação nas suas redes sociais e de contatos.