Av. Marquês de Paraná: esclarecimentos

Em matéria publicada recentemente pelo O Globo, a Prefeitura de Niterói voltou a prometer a conexão cicloviária da Av. Marquês de Paraná, via com elevado trânsito de ciclistas e nenhuma infraestrutura cicloviária.

A prefeitura anuncia que vai priorizar a implantação da ciclovia no cronograma das obras de ampliação das pistas da Avenida Marquês do Paraná. O traçado deve começar a ser feito no mês que vem, e a conclusão está prevista para novembro. A obra toda, incluindo praça e calçadas, está orçada em R$ 11,8 milhões e prometida para o início de 2019. (O Globo, 16/06/18)

cronograma.png

Esta conexão, fundamental para a circulação dos ciclistas na cidade, foi inicialmente prometida pela Prefeitura de Niterói para dezembro de 2015, durante uma audiência pública sobre o Sistema Cicloviário da Cidade que contou com o então vice-prefeito Axel Grael.

Ao fim a força da massa de cicloativistas e simpatizantes culminou em respostas objetivas e metas assumidas pela Prefeitura de Niterói ainda para o ano de 2015, dentre elas: entregar a malha cilcoviária pronta e completa ligando a Zona Norte e a Zona Sul à Marques do Paraná até o final do ano. (Blog do Daniel Marques)

A conexão cicloviária entre a Zona Norte, o Centro e a Zona Sul – e não somente entre o Centro e a Zona Sul como agora propõe a prefeitura – também foi um dos 10 compromissos assumidos pelo prefeito Rodrigo Neves através da Carta Compromisso pela Mobilidade Ativa, fruto da campanha Bicicleta nas Eleições, realizada em 2016 pelo Pedal Sonoro.

Implantar, com urgência, a conexão cicloviária Zona Sul – Centro – Zona Norte (Avenidas Marquês de Paraná – Jansen de Melo), por meio de estrutura segregada do trânsito de veículos motorizados.

Embora o Pedal Sonoro tenha solicitado diversas vezes um encontro com o prefeito para discutirmos a implementação destas propostas, conforme resposta do secretário executivo Axel Grael em fevereiro de 2017, até o presente momento nunca fomos recebidos por Rodrigo Neves ou qualquer outro secretário para debatermos o assunto.

axel.png

Por diversas vezes também solicitamos à Prefeitura de Niterói o projeto executivo da infraestrutura cicloviária a ser implantada, inclusive através de ofícios legislativos, mas esta informação nunca foi apresentada à sociedade, contrariando princípios básicos de transparência e impedindo a participação social.

NÓS, CICLISTAS E USUÁRIOS, NÃO FOMOS OUVIDOS!

oficio.png

Por fim, cabe a nós e também a você ciclista, acompanharmos de perto o desenrolar deste processo, cobrando as informações não apresentadas e, sobretudo, os prazos de execução da obra estabelecidos pela própria prefeitura.

Sem dar detalhes sobre o projeto da ciclovia da Avenida Marquês do Paraná, a prefeitura adianta apenas que o traçado será o de uma ciclovia segregada.

(O Globo, 16/06/18)

CONTAMOS COM VOCÊ!


De segunda à sexta, às 9h30 e 22h30: acompanhe a Faixa Especial Av. Marquês de Paraná na sua Rádio Pedal Sonoro com depoimentos de ciclistas que pedalam diariamente no local e como se sentem em relação à segurança.

Confira alguns exemplos abaixo!

 

 

 

Audiência Pública – Sistema Cicloviário de Niterói [2015]

Atendendo à solicitação de coletivos de ciclistas urbanos como a Massa Crítica, Mobilidade Niterói e Pedal Sonoro, os vereadores Daniel Marques (PV) e Henrique Vieira (PSOL) convocaram uma audiência pública para debater o Sistema Cicloviário de Niterói em 05/08/2015 na Câmara Municipal.

“A presente audiência pública pretende possibilitar amplo debate com a sociedade e uma efetiva participação da população e da sociedade civil organizada sobre as condições do sistema e das ciclovias, o andamento do Programa Niterói de Bicicleta e outras múltiplas demandas referentes ao transporte por bicicleta.” [Daniel Marquês]

Este slideshow necessita de JavaScript.

O encontro contou com representantes do poder público como o vice-prefeito e idealizador do programa Niterói de Bicicleta Axel Grael, o subsecretário de Mobilidade e Urbanismo Renato Baradier e a coordenadora do programa Isabela Ledo, além da presença em massa dos ciclistas da cidade.

Ao longo da audiência, que durou mais de 5 horas, os ciclistas ocuparam o púlpito e cobraram exaustivamente dos representantes da prefeitura melhorias nas condições de ciclomobilidade, sendo a maioria das falas relacionadas às condições de segurança.

Ao final da audiência, com a ajuda dos vereadores e muita pressão popular, conseguimos que o vice-prefeito Axel Grael assumisse 6 compromissos junto aos ciclistas, para se concretizarem ainda no ano de 2015:

1 – Apresentar do projeto básico de 120km de malha cicloviária que integrará 04 regiões de Niterói até outubro de 2015 (parcialmente cumprido);

2 – Implantar o bicicletário das Barcas até o final do ano de 2015 (não cumprido até o momento);

3 – Sinalizar o trecho de calçada compartilhada na laje do mergulhinho (não cumprido até o momento);

4 – Efetuar as ações de fiscalização através da Secretaria Municipal de Urbanismo e Mobilidade para fiel cumprimento da Lei 2499/2007 que obriga todas as universidades, shoppings e mercados a readequar seus estacionamentos permitindo 5% do número de vagas disponibilizadas para bicicletas (não cumprido até o momento);

5 – Realizar até o final do presente mês a ciclovia provisória da Marquês do Paraná, com cones e apoio dos agentes de trânsito conforme realizado anteriormente (cumprido parcialmente);

6 – Entregar a malha cilcoviária completa ligando a Zona Norte e a Zona Sul à Marques do Paraná até o final do ano (não cumprido até o momento).

 

fonte: blog do Daniel Marques

 

 

 

 

 

 

Ciclistas exigem uma solução imediata para a Av. Marquês de Paraná

A conexão cicloviária na Av. Marquês de Paraná – trajeto obrigatório entre os bairros e o centro – foi prometida aos ciclistas pela Prefeitura de Niterói ainda em 2015, ocasião em que foi testada (com sucesso) uma ciclofaixa provisória no contra-fluxo que operou durante algumas poucas semanas e foi suspensa justamente no Dia Mundial Sem Carro (22/09).

O levantamento vai ajudar na elaboração do projeto definitivo da ciclofaixa, que deve ser construída até o fim do ano. [Jornal O Fluminense, 2015]

Este slideshow necessita de JavaScript.

A solução definitiva nunca foi implementada, apesar do elevado número de bicicletas que trafegam diariamente neste trecho. Não existe sequer sinalização (placas) indicando a presença de ciclistas na via ou determinando a redução de velocidade dos veículos motorizados. As condições enfrentadas pelos pedestres é ainda pior, sobretudo após o início das obras de construção de um shopping center no local.

Como resultado desta situação, temos diariamente nossos direitos negados, conflitos e vítimas. Muitas vítimas!

Uma delas foi a ciclista Paola (34 anos, advogada) que no dia 08/03/17 foi violentamente atropelada por um coletivo mas que apesar de sofrer um grave corte na cabeça e muitas escoriações pelo corpo, conseguiu sobreviver.

paola

A vítima fez um relato emocionado nas redes sociais que causou comoção e solidariedade entre os ciclistas da cidade e de todo o país.

“Logo após atravessar a Rua Dr. Celestino e seguir pela ciclovia fictícia, veio um ônibus da Viação Ingá, 31, buzinando insistentemente na minha traseira, naquela hora pedalei o mais rápido que podia para tentar alcançar logo a calçada do Hortifruti, já que naquele momento não tinha outra opção, mas inacreditavelmente o motorista jogou a lateral do ônibus para cima de mim que me pressionou junto a calçada, que como era alta não me derrubou imediatamente, assim fiquei batendo com minha cabeça e corpo por diversas vezes na lataria do ônibus até minha bicicleta entrar debaixo da roda e eu ser arremessada no chão…”

NÃO PODEMOS MAIS ESPERAR

Diante do silêncio da mídia local e da Prefeitura de Niterói, o Pedal Sonoro lançou um abaixo-assinado online para cobrar dos gestores municipais uma solução imediata, a fim de garantir o aumento da segurança dos ciclistas nesta via, para que atropelamentos como este não se repitam e que possamos pedalar com um mínimo tranquilidade, conforme garantido por LEIS FEDERAIS (Código de Trânsito Brasileiro / Plano nacional de Mobilidade Urbana).

Conheça os responsáveis diretos pela insegurança a que somos submetidos diariamente e destinatários deste abaixo-assinado, conforme o seu grau de responsabilidade:

gestores

Rodrigo Neves (Prefeito), Axel Grael (Secretário Executivo e idealizador do programa Niterói de Bicicleta), Renato Barandier (Secretário de Urbanismo e Mobilidade) e Paulo Afonso Cunha (Presidente da NitTrans).

Cabe ressaltar que a atual gestão assinou a Carta Compromisso pela Mobilidade Ativa durante a campanha Bicicleta nas Eleições em 2016 mas, até o presente momento, não implementou nenhuma das 10 propostas, incluindo a de “implantar, com urgência, a conexão cicloviária Zona Sul – Centro – Zona Norte (Avenidas Marquês de Paraná – Jansen de Melo), por meio de estrutura segregada do trânsito de veículos motorizados.”

arte_site

Contamos com a sua colaboração, assim como de iniciativas e organizações, para reunirmos o maior número de assinaturas possíveis em uma semana para exigirmos, juntos, uma solução imediata junto à Prefeitura de Niterói para esta situação dramática.

ASSINE E COMPARTILHE!