Calçada compartilhada do túnel Raul Veiga oferece riscos

A má conservação da calçada compartilhada do túnel Raul Veiga oferece riscos à pedestres e ciclistas, e ainda impede a sua utilização por skatistas que frequentam o Skatepark de São Francisco.

Recebemos a DENÚNCIA abaixo por e-mail, em 26/10.

Ao Pedal Sonoro

Sou de São Paulo, estou morando em Niterói – São Francisco há quase 4 meses. Logo que cheguei comprei uma bicicleta para ir trabalhar no Rio.

Faz parte do meu trajeto a travessia do túnel Raul Veiga pela ciclovia que está bem esburacada, colocando em risco a segurança dos ciclistas e por consequência a dos próprios pedestres que ali também circulam.

Nessa semana meu filho, que também tem uma bicicleta, sofreu um acidente naquele trecho. Por causa da irregularidade da pista o garfo da bicicleta quebrou o levando ao chão lhe causando lesões no corpo, ainda que por sorte sem nenhuma gravidade.

Seria de direito cobrar da prefeitura os prejuízos causados, já que aquele trecho está sinalizado para uso de bicicletas.

Porém nesse momento estou optando em apenas solicitar ao Pedal Sonoro que reivindique junto à prefeitura o recapeamento daquele trecho o quanto antes, esperando que a prefeitura leve em conta a gravidade da situação e promova a melhoria necessária das condições da ciclovia localizada no túnel para evitar novos acidentes.

Nilton

A fim de confirmarmos as informações da denúncia, estivemos hoje (29/10) no local. Veja as imagens!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Em nossa breve visita, constatamos que a pavimetação encontra-se em péssimo estado de conservação; nos acessos ao túnel, os problemas são ainda mais graves (desníveis e buracos); não existe nenhuma sinalização, seja vertical ou horizontal, indicando que este é um espaço compartilhado com pedestres.

 

IMG_9053
ciclofaixa / Av. Roberto Silveira

Os problemas continuam após a saída do túnel na ciclofaixa da Av. Roberto Silveira, conforme denunciado anteriormente em nosso artigo Não basta construir, é preciso conservar, publicado em 26/08/17.

A denúncia já foi encaminhada aos gestores da Prefeitura de Niterói e, como de costume, seguiremos cobrando as devidas providências a fim de garantirmos a segurança de quem optou pela mobilidade ativa em nossa cidade.

PESQUISA / Bicicletários em Niterói

Para além das campanhas de educação, fiscalização eficiente e infraestruturas cicloviárias que cobramos desde 2014, os bicicletários em estabelecimentos comerciais são fundamentais para quem utiliza a bicicleta na cidade.

capa.png

Existem leis municipais e estaduais a fim de garantir esse direito, mas como tantas outras, muitos estabelecimentos a ignoram e o poder público municipal parece não se importar:

“Fica obrigatória a destinação de área exclusiva para o estacionamento de acesso público de bicicletas nos estacionamentos de edificações destinadas a shopping centers, hipermercados e universidades.” [Lei Municipal 2.499, de 06/12/2007]

“Devem ser equipados com pontos de estacionamento de bicicletas os supermercados, escolas, clubes, templos religiosos e demais edificações comerciais de médio ou grande porte.” [Lei Municipal 2.832, de 11/05/2011]

“Os terminais e estações de transferência, os edifícios públicos, as indústrias, escolas, centros de compras, condomínios, parques e outros locais de grande afluxo de pessoas deverão possuir locais para estacionamento de bicicletas, bicicletários e paraciclos, como parte da infraestrutura de apoio a esse modal de transporte.” [Lei Estadual 7.105, de 16/11/2015]

Pedal Sonoro e o Mobilidade Niteroi desejam mapear estes estabelecimentos para cobrarmos do poder público o cumprimento da legislaçãoContamos com a sua colaboração!

Segurança viária: o que determina a LEI?

Trecho da apresentação utilizada na Audiência Pública: Mobilidade Urbana e Segurança Viária, realizada em 09/12/2016 na Câmara Municipal de Niterói, convocada pelos movimentos/coletivos Mobilidade Niterói, Niterói Para Pessoas e Pedal Sonoro e atendida pelos vereadores Paulo Eduardo Gomes (PSOL) e Daniel Marques (PV).

NOTA: Nesta importante atividade, com exceção de uma porta-voz da NitTrans, nenhuma das autoridades municipais convidadas compareceu à audiência.

15319296_1705553273076142_603339166780008130_n.jpg

CÓDIGO DE TRÂNSITO BRASILEIRO (CTB) Lei Federal 9.503 de 23/09/1997

Considera-se TRÂNSITO a utilização das vias por PESSOAS, veículos e animais, isolados ou em grupos, conduzidos ou não, para fins de circulação, parada, estacionamento e operação de carga ou descarga.

O trânsito, em CONDIÇÕES SEGURAS, é um DIREITO DE TODOS e DEVER dos órgãos e entidades componentes do Sistema Nacional de Trânsito (SNT), a estes cabendo, no âmbito das respectivas competências, adotar as medidas destinadas a assegurar esse direito.

Os órgãos e entidades de trânsito pertencentes ao SNT darão prioridade em suas ações à DEFESA DA VIDA, nela incluída a preservação da saúde e do meio ambiente.

Os órgãos e entidades componentes do SNT RESPONDEM, no âmbito das respectivas competências, objetivamente, por danos causados aos cidadãos em virtude de AÇÃO, OMISSÃO ou ERRO na execução e manutenção de programas, projetos e serviços que garantam o exercício do DIREITO do trânsito seguro.

piramide.png

PLANO NACIONAL DE MOBILIDADE URBANA/PNMU Lei Federal 12.587 de 01/03/2012

Princípios do PNMU:

ACESSO dos cidadãos ao transporte público coletivo;

GESTÃO DEMOCRÁTICA e CONTROLE SOCIAL do planejamento e avaliação da PNMU;

SEGURANÇA nos deslocamentos das PESSOAS;

Justa distribuição dos BENEFÍCIOS E ÔNUS decorrentes do uso dos diferentes modos e serviços;

EQUIDADE no uso do ESPAÇO PÚBLICO de circulação, vias e logradouros.

equidade.png

Diretrizes do PNMU:

PRIORIDADE dos modos de transportes não motorizados sobre os motorizados e dos serviços de transporte público coletivo sobre o transporte individual motorizado;

INTEGRAÇÃO entre os modos e serviços de transporte urbano.

Objetivos do PNMU:

Consolidar a GESTÃO DEMOCRÁTICA como instrumento e garantia da construção contínua do aprimoramento da mobilidade urbana.

 

 

CicloExperiência 2017 / programação

O Pedal Sonoro, com a parceria institucional do Museu do Ingá, realizará no sábado (08/04) a CicloExperiência 2017: uma tarde inteira dedicada à cultura da bicicleta!

Trata-se de uma convocação geral de ciclistas da região metropolitana com o apoio e a participação confirmada de diversos grupos, iniciativas e pessoas que, à sua maneira, promovem a cultura e o uso das bicicletas nas cidades.

capa_site.png

Confira as atividades desta CicloExperiência!

ESPAÇO CICLOATIVO | PAINÉIS

13h00 | Bike fit e seus benefícios [Armando Barcellos]

13h30 | Bicicletas antigas alemãs [Maurício Mattos e Silvio Garcia]

13h50 | Conheça o programa Niterói de Bicicleta [Isabela Ledo]

14h20 | Pedalar não basta: o mito do ciclista cidadão de bem [Daniel Maribondo/PPGP-UFRJ]

15h00 | Bicicleta nas Eleições / Niterói [Luís Araujo/Pedal Sonoro]

15h30 | Mensageiros: o uso da bike para entregas [Thiago Gonçalves/Bikers]

16h00 | Mulheres na Cidade: gênero, emponderamento e mobilidade pelo uso da bicicleta [Vivian Garelli/Pedal Maravilha]

16h40 | São Gonçalo Bike Clube e União Gonçalence de Ciclistas [Charles Gomes]

17h10 | Cicloativismo: dilemas e fronteiras na construção da cidadania no Brasil [Fernando Barcellos/PPGSD-UFF]

17h50 | Cultura Lowrider [Marcio Grafitti/Vélo Vintage M&G]

18h15 | Apresentação da MobiRio – Associação Carioca pela Mobilidade Ativa [Joanna Almeida]

18h40 | Ciclistas e o Código de Trânsito Brasileiro – CTB de Bolso [Claudiléia Pinto]

ESPAÇO MÃO NA RODA | OFICINAS

13h30 | Mecânica básica – freios e marchas [Garage Bike / Piratas de Bici]

14h45 | Prenda ou Perca / como prender sua bicicleta [Transporte Ativo]

15h45 | Mecânica básica – reparo de câmara e troca de pneus [Garage Bike / Piratas]

17h00 |  Bici Persé – mecânica p/ mulheres [Sarah Hanna Alves]

Havendo necessidade de se limitar o número de participantes nas oficinas, as inscrições serão realizadas 30 minutos antes de cada atividade.

JARDINS DO MUSEU DO INGÁ

14/16h | Jogos da Bicicleta (público infantil) [Bike Anjo Niterói]

14/16h | Oficina de plaquinhas p/ bici [Pedal Sonoro]

16h30/18h | Oficina de desnho / público infantil [Pedal Sonoro]

Jazz ao vivo c/ Marcelo Nestler e Fábio Muniz

Feira de Relações Orgânicas

Bazar das Bicis [Piratas de Bici]

Escuto Histórias Sobre Bicicletas

Oficina de Mapeamento: Ciclo-Experiência em Niterói [Niterói de Bicicleta]

Customização de Bicicletas [Pedal Maravilha]

Bici Rangos [Bem Assim, Browninha, Cerveja Black Trunk, GreenFit, Kibe Kibe, Maroca Doces e NitFit]

Moda e acessórios [Anouk Bags, Bike Rio Café, Cíclicas, Ciclismo Urbano, Primo Factory, Puro Mato, Respeite Um Carro a Menos, Use Hobby e Vélo Vintage]

PELAS VIAS

15h00 | Oficina MobiRio: indicadores para avaliação cidadã da infra cicloviária

16h30/18h | Alicate Experiência: prova para ciclistas urbanos /  corrida com premiação

19h30 | Bicicletada da CicloExperiência + confraternização

REALIZAÇÃO: PEDAL SONORO

PARCERIA INSTITUCIONAL: MUSEU DO INGÁ

APOIO: BRANDÃO CÓPIAS, CANTINHO DA BATATA, CARDÁPIO PIZZARIA e PHYSIC FUEL

O cronograma do evento poderá sofrer alterações de acordo com a necessidade dos organizadores e/ou parceiros envolvidos.

Bicicletada Compromisso| Executivo

No próximo domingo (11/09) realizaremos uma das mais importantes atividades da campanha Bicicleta nas Eleições | Niterói 2016.

Durante a BICICLETADA, com a participação de candidato(a)s ao poder executivo, estes terão a oportunidade de assinar a CARTA COMPROMISSO PELA MOBILIDADE ATIVA.

O documento, baseado em experiências anteriores de cidades como São Paulo e Porto Alegre (2012), traz 10 propostas que devem ser implementadas pelo(a) futuro(a) prefeito(a), a fim de transformar a mobilidade urbana de Niterói para melhor, beneficiando não apenas pedestres e ciclistas, mas o conjunto da sociedade.

post

SERVIÇO: BICICLETADA COMPROMISSO 

DATA: 11/09 (DOMINGO) | HORÁRIO: 9H

LOCAL: Cicloponto Icaraí [calçadão da praia, em frente à Reitoria/UFF)

 

Confira, abaixo, algumas das propostas:

Realizar periodicamente, em todas as regiões da cidade, campanhas de educação / conscientização para o trânsito, direcionadas a motoristas (profissionais ou não), ciclistas e pedestres, informando objetivamente seus direitos e deveres. Elaborar campanhas, voltadas para a sociedade, informando os ganhos sociais proporcionados pela mobilidade ativa;

Implantar, com urgência, a conexão cicloviária Zona Sul – Centro – Zona Norte (Avenidas Marquês de Paraná / Jansen de Melo) por meio de estrutura segregada do trânsito de veículos motorizados;

Construir novas infraestruturas e aprimorar as existentes, essenciais para o deslocamento de pedestres e ciclistas (malha cicloviária, sinalização, faixas de pedestre, calçadas etc). Valer-se das intervenções urbanas e viárias, periódicas ou não, para a inclusão destas estruturas, de forma aumentar a segurança das pessoas;

Adotar as medidas necessárias para “acalmar” o trânsito, como a redução de velocidade máxima das vias de acordo com a OMS, implantação de “zonas 30”, instalação de rotatórias, faixas de pedestre elevadas, sinalização etc. Na engenharia e operação do trânsito, dar prioridade absoluta à preservação da vida;

Bicicleta nas Eleições / Niterói 2016

lançamento

Tornar a MOBILIDADE URBANA POR BICICLETA um compromisso dos candidatos e candidatas ao executivo e legislativo municipais em seus respectivos planos de gestão: esta é uma das missões do Pedal Sonoro durante os próximos meses.

Ao realizar campanha Bicicleta nas Eleições em Niterói, promovida pela UCB – União de Ciclistas do Brasil e lançada no último dia 09 de Junho, o Pedal Sonoro tem por objetivo fomentar o debate acerca da MOBILIDADE ATIVA e assim conscientizar políticos e sociedade civil do respeito à pluralidade de modos de deslocamento nas vias e da importância da democratização de seus usos.

Nesta empreitada, vamos contar com o apoio de diversas entidades e iniciativas como o Mobilidade Niteroi e Bike Anjo Niterói.

A campanha Bicicleta nas Eleições é baseada em experiências anteriores em cidades como São Paulo/SP e Curitiba/PR, bem como na campanha com os candidatos à presidência da república em 2014 realizada pela UCB.

Temas como campanhas de educação/conscientização para o trânsito, redução de velocidade nas vias, infraestrutura cicloviárias e fiscalização são algumas das pautas que devem ser discutidas com os participantes do pleito de 2016.

O diálogo com diretórios dos partidos e a participação das entidades, assim como dos ciclistas e cidadãos de maneira geral serão fundamentais para o sucesso desta campanha.