PESQUISA / Bicicletários em Niterói

Para além das campanhas de educação, fiscalização eficiente e infraestruturas cicloviárias que cobramos desde 2014, os bicicletários em estabelecimentos comerciais são fundamentais para quem utiliza a bicicleta na cidade.

capa.png

Existem leis municipais e estaduais a fim de garantir esse direito, mas como tantas outras, muitos estabelecimentos a ignoram e o poder público municipal parece não se importar:

“Fica obrigatória a destinação de área exclusiva para o estacionamento de acesso público de bicicletas nos estacionamentos de edificações destinadas a shopping centers, hipermercados e universidades.” [Lei Municipal 2.499, de 06/12/2007]

“Devem ser equipados com pontos de estacionamento de bicicletas os supermercados, escolas, clubes, templos religiosos e demais edificações comerciais de médio ou grande porte.” [Lei Municipal 2.832, de 11/05/2011]

“Os terminais e estações de transferência, os edifícios públicos, as indústrias, escolas, centros de compras, condomínios, parques e outros locais de grande afluxo de pessoas deverão possuir locais para estacionamento de bicicletas, bicicletários e paraciclos, como parte da infraestrutura de apoio a esse modal de transporte.” [Lei Estadual 7.105, de 16/11/2015]

Pedal Sonoro e o Mobilidade Niteroi desejam mapear estes estabelecimentos para cobrarmos do poder público o cumprimento da legislaçãoContamos com a sua colaboração!

Segurança viária: o que determina a LEI?

Trecho da apresentação utilizada na Audiência Pública: Mobilidade Urbana e Segurança Viária, realizada em 09/12/2016 na Câmara Municipal de Niterói, convocada pelos movimentos/coletivos Mobilidade Niterói, Niterói Para Pessoas e Pedal Sonoro e atendida pelos vereadores Paulo Eduardo Gomes (PSOL) e Daniel Marques (PV).

NOTA: Nesta importante atividade, com exceção de uma porta-voz da NitTrans, nenhuma das autoridades municipais convidadas compareceu à audiência.

15319296_1705553273076142_603339166780008130_n.jpg

CÓDIGO DE TRÂNSITO BRASILEIRO (CTB) Lei Federal 9.503 de 23/09/1997

Considera-se TRÂNSITO a utilização das vias por PESSOAS, veículos e animais, isolados ou em grupos, conduzidos ou não, para fins de circulação, parada, estacionamento e operação de carga ou descarga.

O trânsito, em CONDIÇÕES SEGURAS, é um DIREITO DE TODOS e DEVER dos órgãos e entidades componentes do Sistema Nacional de Trânsito (SNT), a estes cabendo, no âmbito das respectivas competências, adotar as medidas destinadas a assegurar esse direito.

Os órgãos e entidades de trânsito pertencentes ao SNT darão prioridade em suas ações à DEFESA DA VIDA, nela incluída a preservação da saúde e do meio ambiente.

Os órgãos e entidades componentes do SNT RESPONDEM, no âmbito das respectivas competências, objetivamente, por danos causados aos cidadãos em virtude de AÇÃO, OMISSÃO ou ERRO na execução e manutenção de programas, projetos e serviços que garantam o exercício do DIREITO do trânsito seguro.

piramide.png

PLANO NACIONAL DE MOBILIDADE URBANA/PNMU Lei Federal 12.587 de 01/03/2012

Princípios do PNMU:

ACESSO dos cidadãos ao transporte público coletivo;

GESTÃO DEMOCRÁTICA e CONTROLE SOCIAL do planejamento e avaliação da PNMU;

SEGURANÇA nos deslocamentos das PESSOAS;

Justa distribuição dos BENEFÍCIOS E ÔNUS decorrentes do uso dos diferentes modos e serviços;

EQUIDADE no uso do ESPAÇO PÚBLICO de circulação, vias e logradouros.

equidade.png

Diretrizes do PNMU:

PRIORIDADE dos modos de transportes não motorizados sobre os motorizados e dos serviços de transporte público coletivo sobre o transporte individual motorizado;

INTEGRAÇÃO entre os modos e serviços de transporte urbano.

Objetivos do PNMU:

Consolidar a GESTÃO DEMOCRÁTICA como instrumento e garantia da construção contínua do aprimoramento da mobilidade urbana.

 

 

CicloExperiência 2017 / programação

O Pedal Sonoro, com a parceria institucional do Museu do Ingá, realizará no sábado (08/04) a CicloExperiência 2017: uma tarde inteira dedicada à cultura da bicicleta!

Trata-se de uma convocação geral de ciclistas da região metropolitana com o apoio e a participação confirmada de diversos grupos, iniciativas e pessoas que, à sua maneira, promovem a cultura e o uso das bicicletas nas cidades.

capa_site.png

Confira as atividades desta CicloExperiência!

ESPAÇO CICLOATIVO | PAINÉIS

13h00 | Bike fit e seus benefícios [Armando Barcellos]

13h30 | Bicicletas antigas alemãs [Maurício Mattos e Silvio Garcia]

13h50 | Conheça o programa Niterói de Bicicleta [Isabela Ledo]

14h20 | Pedalar não basta: o mito do ciclista cidadão de bem [Daniel Maribondo/PPGP-UFRJ]

15h00 | Bicicleta nas Eleições / Niterói [Luís Araujo/Pedal Sonoro]

15h30 | Mensageiros: o uso da bike para entregas [Thiago Gonçalves/Bikers]

16h00 | Mulheres na Cidade: gênero, emponderamento e mobilidade pelo uso da bicicleta [Vivian Garelli/Pedal Maravilha]

16h40 | São Gonçalo Bike Clube e União Gonçalence de Ciclistas [Charles Gomes]

17h10 | Cicloativismo: dilemas e fronteiras na construção da cidadania no Brasil [Fernando Barcellos/PPGSD-UFF]

17h50 | Cultura Lowrider [Marcio Grafitti/Vélo Vintage M&G]

18h15 | Apresentação da MobiRio – Associação Carioca pela Mobilidade Ativa [Joanna Almeida]

18h40 | Ciclistas e o Código de Trânsito Brasileiro – CTB de Bolso [Claudiléia Pinto]

ESPAÇO MÃO NA RODA | OFICINAS

13h30 | Mecânica básica – freios e marchas [Garage Bike / Piratas de Bici]

14h45 | Prenda ou Perca / como prender sua bicicleta [Transporte Ativo]

15h45 | Mecânica básica – reparo de câmara e troca de pneus [Garage Bike / Piratas]

17h00 |  Bici Persé – mecânica p/ mulheres [Sarah Hanna Alves]

Havendo necessidade de se limitar o número de participantes nas oficinas, as inscrições serão realizadas 30 minutos antes de cada atividade.

JARDINS DO MUSEU DO INGÁ

14/16h | Jogos da Bicicleta (público infantil) [Bike Anjo Niterói]

14/16h | Oficina de plaquinhas p/ bici [Pedal Sonoro]

16h30/18h | Oficina de desnho / público infantil [Pedal Sonoro]

Jazz ao vivo c/ Marcelo Nestler e Fábio Muniz

Feira de Relações Orgânicas

Bazar das Bicis [Piratas de Bici]

Escuto Histórias Sobre Bicicletas

Oficina de Mapeamento: Ciclo-Experiência em Niterói [Niterói de Bicicleta]

Customização de Bicicletas [Pedal Maravilha]

Bici Rangos [Bem Assim, Browninha, Cerveja Black Trunk, GreenFit, Kibe Kibe, Maroca Doces e NitFit]

Moda e acessórios [Anouk Bags, Bike Rio Café, Cíclicas, Ciclismo Urbano, Primo Factory, Puro Mato, Respeite Um Carro a Menos, Use Hobby e Vélo Vintage]

PELAS VIAS

15h00 | Oficina MobiRio: indicadores para avaliação cidadã da infra cicloviária

16h30/18h | Alicate Experiência: prova para ciclistas urbanos /  corrida com premiação

19h30 | Bicicletada da CicloExperiência + confraternização

REALIZAÇÃO: PEDAL SONORO

PARCERIA INSTITUCIONAL: MUSEU DO INGÁ

APOIO: BRANDÃO CÓPIAS, CANTINHO DA BATATA, CARDÁPIO PIZZARIA e PHYSIC FUEL

O cronograma do evento poderá sofrer alterações de acordo com a necessidade dos organizadores e/ou parceiros envolvidos.

Bicicletada Compromisso| Executivo

No próximo domingo (11/09) realizaremos uma das mais importantes atividades da campanha Bicicleta nas Eleições | Niterói 2016.

Durante a BICICLETADA, com a participação de candidato(a)s ao poder executivo, estes terão a oportunidade de assinar a CARTA COMPROMISSO PELA MOBILIDADE ATIVA.

O documento, baseado em experiências anteriores de cidades como São Paulo e Porto Alegre (2012), traz 10 propostas que devem ser implementadas pelo(a) futuro(a) prefeito(a), a fim de transformar a mobilidade urbana de Niterói para melhor, beneficiando não apenas pedestres e ciclistas, mas o conjunto da sociedade.

post

SERVIÇO: BICICLETADA COMPROMISSO 

DATA: 11/09 (DOMINGO) | HORÁRIO: 9H

LOCAL: Cicloponto Icaraí [calçadão da praia, em frente à Reitoria/UFF)

 

Confira, abaixo, algumas das propostas:

Realizar periodicamente, em todas as regiões da cidade, campanhas de educação / conscientização para o trânsito, direcionadas a motoristas (profissionais ou não), ciclistas e pedestres, informando objetivamente seus direitos e deveres. Elaborar campanhas, voltadas para a sociedade, informando os ganhos sociais proporcionados pela mobilidade ativa;

Implantar, com urgência, a conexão cicloviária Zona Sul – Centro – Zona Norte (Avenidas Marquês de Paraná / Jansen de Melo) por meio de estrutura segregada do trânsito de veículos motorizados;

Construir novas infraestruturas e aprimorar as existentes, essenciais para o deslocamento de pedestres e ciclistas (malha cicloviária, sinalização, faixas de pedestre, calçadas etc). Valer-se das intervenções urbanas e viárias, periódicas ou não, para a inclusão destas estruturas, de forma aumentar a segurança das pessoas;

Adotar as medidas necessárias para “acalmar” o trânsito, como a redução de velocidade máxima das vias de acordo com a OMS, implantação de “zonas 30”, instalação de rotatórias, faixas de pedestre elevadas, sinalização etc. Na engenharia e operação do trânsito, dar prioridade absoluta à preservação da vida;

Bicicleta nas Eleições / Niterói 2016

lançamento

Tornar a MOBILIDADE URBANA POR BICICLETA um compromisso dos candidatos e candidatas ao executivo e legislativo municipais em seus respectivos planos de gestão: esta é uma das missões do Pedal Sonoro durante os próximos meses.

Ao realizar campanha Bicicleta nas Eleições em Niterói, promovida pela UCB – União de Ciclistas do Brasil e lançada no último dia 09 de Junho, o Pedal Sonoro tem por objetivo fomentar o debate acerca da MOBILIDADE ATIVA e assim conscientizar políticos e sociedade civil do respeito à pluralidade de modos de deslocamento nas vias e da importância da democratização de seus usos.

Nesta empreitada, vamos contar com o apoio de diversas entidades e iniciativas como o Mobilidade Niteroi e Bike Anjo Niterói.

A campanha Bicicleta nas Eleições é baseada em experiências anteriores em cidades como São Paulo/SP e Curitiba/PR, bem como na campanha com os candidatos à presidência da república em 2014 realizada pela UCB.

Temas como campanhas de educação/conscientização para o trânsito, redução de velocidade nas vias, infraestrutura cicloviárias e fiscalização são algumas das pautas que devem ser discutidas com os participantes do pleito de 2016.

O diálogo com diretórios dos partidos e a participação das entidades, assim como dos ciclistas e cidadãos de maneira geral serão fundamentais para o sucesso desta campanha.