Monitoramento da Carta Compromisso pela Mobilidade Ativa (2016)

A campanha Bicicleta nas Eleições – Niterói 2016, promovida pela União de Ciclistas do Brasil e realizada pelo Pedal Sonoro com o apoio de diversos parceiros, promoveu em setembro de 2016 uma BICICLETADA que contou com a presença dos 4 candidatos à Prefeitura de Niterói.

barra2.png

Durante esta atividade, todos os candidatos assinaram a Carta Compromisso pela Mobilidade Ativa, contendo 10 propostas elaboradas pelos ciclistas e sociedade civil, com o objetivo de promover os modos de transportes não motorizados em nossa cidade, de acordo com a Política Nacional de Mobilidade Urbana, Lei 12.587 de 2012.

Conheça, abaixo, duas destas propostas:

Realizar periodicamente, em todas as regiões da cidade, campanhas de educação / conscientização para o trânsito, direcionadas a motoristas (profissionais ou não), ciclistas e pedestres, informando objetivamente seus direitos e deveres. Elaborar campanhas, voltadas para a sociedade, informando os ganhos sociais proporcionados pela mobilidade ativa;

Implantar, com urgência, a conexão cicloviária Zona Sul – Centro – Zona Norte (Avenidas Marquês de Paraná / Jansen de Melo) por meio de estrutura segregada do trânsito de veículos motorizados;

barra.png

Após quase 2 anos desde a reeleição do prefeito Rodrigo Neves, o quanto a sua gestão implementou tais propostas a fim de garantir e promover a Mobilidade Ativa em nossa cidade?

É justamente esta pergunta que pretendemos responder com a sua colaboração, através da Consulta Popular para Pedestres e Ciclistas que propõe o monitoramento da implementação (ou não) destas propostas.

Para responder é muito simples, não demora quase nada e basta clicar aqui.

Contamos com você!

Av. Marquês de Paraná: esclarecimentos

Em matéria publicada recentemente pelo O Globo, a Prefeitura de Niterói voltou a prometer a conexão cicloviária da Av. Marquês de Paraná, via com elevado trânsito de ciclistas e nenhuma infraestrutura cicloviária.

A prefeitura anuncia que vai priorizar a implantação da ciclovia no cronograma das obras de ampliação das pistas da Avenida Marquês do Paraná. O traçado deve começar a ser feito no mês que vem, e a conclusão está prevista para novembro. A obra toda, incluindo praça e calçadas, está orçada em R$ 11,8 milhões e prometida para o início de 2019. (O Globo, 16/06/18)

cronograma.png

Esta conexão, fundamental para a circulação dos ciclistas na cidade, foi inicialmente prometida pela Prefeitura de Niterói para dezembro de 2015, durante uma audiência pública sobre o Sistema Cicloviário da Cidade que contou com o então vice-prefeito Axel Grael.

Ao fim a força da massa de cicloativistas e simpatizantes culminou em respostas objetivas e metas assumidas pela Prefeitura de Niterói ainda para o ano de 2015, dentre elas: entregar a malha cilcoviária pronta e completa ligando a Zona Norte e a Zona Sul à Marques do Paraná até o final do ano. (Blog do Daniel Marques)

A conexão cicloviária entre a Zona Norte, o Centro e a Zona Sul – e não somente entre o Centro e a Zona Sul como agora propõe a prefeitura – também foi um dos 10 compromissos assumidos pelo prefeito Rodrigo Neves através da Carta Compromisso pela Mobilidade Ativa, fruto da campanha Bicicleta nas Eleições, realizada em 2016 pelo Pedal Sonoro.

Implantar, com urgência, a conexão cicloviária Zona Sul – Centro – Zona Norte (Avenidas Marquês de Paraná – Jansen de Melo), por meio de estrutura segregada do trânsito de veículos motorizados.

Embora o Pedal Sonoro tenha solicitado diversas vezes um encontro com o prefeito para discutirmos a implementação destas propostas, conforme resposta do secretário executivo Axel Grael em fevereiro de 2017, até o presente momento nunca fomos recebidos por Rodrigo Neves ou qualquer outro secretário para debatermos o assunto.

axel.png

Por diversas vezes também solicitamos à Prefeitura de Niterói o projeto executivo da infraestrutura cicloviária a ser implantada, inclusive através de ofícios legislativos, mas esta informação nunca foi apresentada à sociedade, contrariando princípios básicos de transparência e impedindo a participação social.

NÓS, CICLISTAS E USUÁRIOS, NÃO FOMOS OUVIDOS!

oficio.png

Por fim, cabe a nós e também a você ciclista, acompanharmos de perto o desenrolar deste processo, cobrando as informações não apresentadas e, sobretudo, os prazos de execução da obra estabelecidos pela própria prefeitura.

Sem dar detalhes sobre o projeto da ciclovia da Avenida Marquês do Paraná, a prefeitura adianta apenas que o traçado será o de uma ciclovia segregada.

(O Globo, 16/06/18)

CONTAMOS COM VOCÊ!


De segunda à sexta, às 9h30 e 22h30: acompanhe a Faixa Especial Av. Marquês de Paraná na sua Rádio Pedal Sonoro com depoimentos de ciclistas que pedalam diariamente no local e como se sentem em relação à segurança.

Confira alguns exemplos abaixo!

 

 

 

Av. Marquês de Paraná segue sem segurança

Já se passaram mais de 45 dias desde o atropelamento da ciclista Paola Barrozo por um coletivo na Av. Marquês de Paraná e de outros dois atropelamentos em 48h, fatos que geraram uma grande indignação e mobilização entre os ciclistas de Niterói porém, até o momento, quase nada foi feito pela Prefeitura de Niterói para aumentar a segurança de quem pedala nesta via.

28950886_1693308984068688_8336913314063843328_n

Logo após atravessar a rua Dr. Celestino e seguir pela ciclovia fictícia, veio um ônibus da viação Ingá, 31, buzinando insistentemente na minha traseira, naquela hora pedalei o mais rápido que podia para tentar alcançar logo a calçada do Hortifruti, já que naquele momento não tinha outra opção, mas inacreditavelmente o motorista jogou a lateral do ônibus para cima de mim que me pressionou junto a calçada, que como era alta não me derrubou imediatamente, assim fiquei batendo com minha cabeça e corpo por diversas vezes na lataria do ônibus até minha bicicleta entrar debaixo da roda e eu ser arremessada no chão. (Paola Barrozo)

 

Os relatos das vítimas postados nas redes sociais motivaram a criação de um abaixo-assinado que repercutiu nos meios de comunicação e a elaboração de ofícios e indicações legislativas ao poder público, cobrando uma solução imediata da prefeitura a fim de garantir a segurança dos ciclistas, direito assegurado pelo Código de Trânsito Brasileiro. Dentre as propostas indicadas, destacam-se:

  1. sinalização ostensiva, indicando a presença de ciclistas na via;
  2. redução da velocidade na via;
  3. fiscalização eletrônica de velocidade;
  4. infra estrutura temporária (ciclofaixa na reversível)

 

Este trecho da Av. Marquês de Paraná com apenas 1.2km é conexão fundamental entre as Zonas Norte/Sul e o centro da cidade que, segundo contagem de ciclos realizada em set/2016 pelo grupo Mobilidade Niterói, apresentou uma média de 280,5 vidas/hora. Cabe lembrar que a atual gestão reeleita, sob o comando do prefeito Rodrigo Neves, prometeu uma infra-estrutura cicloviária definitiva no local para o ano de 2015.

MAPA_amaral.png

Recentemente estivemos na Av. Marquês de Paraná e verificamos a instalação de 3 simples placas com a imagem de uma bicicleta, apenas no trecho entre a R. Doutor Celestino e Av. Roberto Silveira, e no sentido Zona Sul. Tal sinalização não existe no sentido Centro/Zona Norte. Também chegou ao nosso conhecimento a retomada da ciclofarsa de cones, uma operação da NitTrans absolutamente mal executada e ineficaz no sentido de garantir a segurança dos ciclistas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Acreditamos que esta medida foi adotada apenas para dar uma satisfação à sociedade, pois estas placas não comunicam nada aos motoristas e algumas estão escondidas sob as árvores. NADA MUDOU neste perigoso trecho!

Sempre defendemos junto à Prefeitura de Niterói, seja na sinalização ou nas poucas pseudos campanhas educativas realizadas, mensagens diretas e objetivas que sejam capaz de gerar alguma mudança de comportamento dos condutores:

ATENÇÃO: CICLISTAS NA VIA

RESPEITE 1,5m

PRIORIDADE DO CICLISTA

20180425_124451
Por que não pode ser assim? Pra reversível tem, né…

Cabe ressaltar que o Código de Trânsito Brasileiro (1996) municipaliza a gestão do trânsito e determina que o prefeito, secretários e gestores são diretamente responsáveis por assegurar o seu direito, seja ele caminhar, pedalar ou queimar óleo.

Estes são os responsáveis diretos por esta situação e pela sua insegurança cotidiana nas ruas de Niterói (por grau de responsabilidade):

gestores.png

Prefeito Rodrigo Neves | Secretário Executivo Axel Grael

Secretário de Imobilidade e Urbanismo – Renato Barandier

Poeta e Presidente da NitTrans – Coronel PM Paulo Afonso Cunha

 

CONTAMOS COM A SUA PARTICIPAÇÃO: a omissão e o descaso desta gestão já foram longe demais. A próxima vítima pode ser você!

ASSINE E COMPARTILHE o abaixo-assinado (é somente até domingo) e faça circular esta informação nas suas redes sociais e de contatos.