Saiba como o Plano Diretor pode impactar na sua qualidade de vida

Após um longo processo que gerou diversos adiamentos da votação do Plano Diretor de Niterói graças à luta da sociedade civil nos conselhos municipais e nas diversas audiências públicas realizadas, de mandatos legislativos e mesmo da justiça, na última segunda feira (19/01) o plano foi finalmente sancionado pelo prefeito em exercício Paulo Bagueira.

Não é fácil gerenciar uma cidade, saber dos desafios e das soluções que cabe às autoridades. Por isso, existe o Plano Diretor que nada mais é que um “manual” para gerir as cidades.
O plano organiza o crescimento e o funcionamento do município. No Plano Diretor está a cidade que queremos, ele projeta o futuro da cidade de acordo com o que decidimos, incluindo questões relacionadas à mobilidade urbana.

Se por um lado o texto deixa a desejar na proteção ambiental, sobretudo na Região Oceânica, no tocante à mobilidade a lei parece atender à Política Nacional de Mobilidade Urbana (PNMU).

imagemok.png

Confira alguns destaques do Plano Diretor relacionados à mobilidade ativa que, se colocados em prática por esta gestão, podem trazer inúmeros benefícios para sociedade em geral, sobretudo na qualidade de vida de pedestres e ciclistas:

  • Desenvolvimento urbano orientado à mobilidade sustentável, valorização dos espaços públicos;
  • A ação prioritária do Sistema Cicloviário será implantar a rede cicloviária planejada com o Plano Municipal de Mobilidade Urbana;
  • Desestimular o uso do transporte individual motorizado, articulando o transporte público coletivo com os modos não motorizados;
  • Aprimorar e articular o sistema de mobilidade local ao sistema de transporte público coletivo, priorizando os modos de transporte não motorizados, objetivando qualificar as centralidades e garantir acessibilidade;
  • Promover os modos de transporte não motorizados, como a caminhada e o uso da bicicleta, considerando a segurança da população;
  • Promover a complementação, ajuste e melhoria da infraestrutura cicloviária, garantindo a segurança, sinalização e integração com os bairros e municípios vizinhos, com as comunidades e com outros meios de transporte, priorizando trechos importantes da cidade e revendo os critérios de velocidade máxima das vias como estratégias de segurança viária, discutindo a destinação de recursos orçamentários para os transportes não motorizados;
  • Requalificação dos passeios com atendimento das normas de acessibilidade e segurança vigentes, fomento da arborização urbana de acordo com as especificidades locais;
  • Intervenções para a implantação do sistema cicloviário integrado ao sistema de transporte público coletivo de alta e média capacidade;
  • O Executivo deverá elaborar plano de adequação, recuperação e manutenção de passeios públicos;
  • Implantar uma política de restrição ao estacionamento em via pública, considerando os impactos negativos sobre a mobilidade e a qualidade do espaço urbano construído, estabelecendo instrumentos de controle da oferta de vagas de estacionamento em áreas públicas e privadas, inclusive para operação da atividade de compartilhamento de vagas;
  • Requalificação dos passeios com atendimento das normas de acessibilidade e segurança vigentes, fomento da arborização urbana e de acordo com as especificidades locais;
  • Implantar dispositivos de redução da velocidade e pacificação de tráfego nas vias locais, especialmente nas zonas residenciais.
  • Garantir a acessibilidade segura e autonomia das pessoas com deficiência e restrição de mobilidade;
  • Calçadas, faixas de pedestres, transposições e passarelas deverão ser gradualmente adequadas para atender à mobilidade inclusiva, visando a sua autonomia, conforme normas técnicas regulamentares pertinentes.

direito.png

Uma vez que a lei foi sancionada, cabe agora a cada um de nós enquanto cidadãos estarmos vigilantes para juntos e de maneira organizada cobrarmos a efetivação destas políticas públicas. Contamos com você!

Com informações de O Fluminense

Confira o balanço 2018

Para um coletivo integrado exclusivamente por voluntários e sem nenhum financiamento por parte de empresas ou governo, 2018 foi sensacional.

Confira o que rolou ao longo deste ano!

CAMPANHAS

O coletivo Pedal Sonoro é o operador da campanha Bicicleta Nos Planos em Niterói, realizada pelo Bike Anjo e UCB – União de Ciclistas do Brasil, que tem o objetivo de inserir a bicicleta no Plano de Mobilidade Urbana.

Participamos ainda das campanhas Dia Mundial Sem Carro, De Bike ao Trabalho e Mobilidade Ativa nas Eleições, além de realizarmos campanha educativa permanente para conscientização de ciclistas por meio de nossos canais de comunicação.

tarja1.png

CICLOEXPERIÊNCIA

A edição deste ano ocorreu no Teatro Popular Oscar Niemeyer e contou com a participação de dezenas de parceiros e iniciativas, além de convidados de outros estados. A atividade foi um sucesso e contou com grande público de todas as vertentes do ciclismo. Além disso, a CicloExperiência 2018 marcou o lançamento da campanha Bicicleta Nos Planos na cidade e da Rádio Pedal Sonoro que fez uma cobertura ao vivo diretamente do local, registrando alta audiência.

ATIVIDADES

Neste ano, realizamos nada menos que 16 bicicletadas musicais em Niterói e no Rio de Janeiro, além de produzimos outras atividades de promoção da cultura da bicicleta como o Pedalzinho Sonoro, Oficina de Pedal Sonoro, Cineclube Pedal Sonoro.

Além disso, marcarmos presença em diversos eventos como a Bicicletada RO no Caminho da BEM (Região Oceânica), Oficina de Formação de Bicicleta no Sudeste / Bicicleta Nos Planos, Bicicultura, Fórum Rio / Casa Fluminense (São Gonçalo), Pedal da Paz, Dia Mundial Sem Carro Niterói, Fórum Lixo Zero Niterói e Pedal Treme Terra. Ah, também fomos indicados ao Prêmio Sou de Niterói, promovido pelo jornal O Globo!

Este slideshow necessita de JavaScript.

14/01 – Pedal Sonoro Woodstock
03/02 – Carnaval no Ingá (Museu do Ingá)
03/02 – Carnapedal Sonoro
16/03 – Pedal UFF Sustentável
08/04 – Pedal Sonoro Eric Clapton
21/04 – Bicicletada da CicloExperiência 2018
20/05 – Pedal Sonoro Stevie Wonder
10/06 – Pedal Sonoro no Bicicultura 2018 (Rio de Janeiro)
08/07 – CicloArraiá do Pedal Sonoro
12/08 – Pedal Sonoro Dia dos Pais
09/09 – Pedal Sonoro Cazuza
22/09 – Fórum Mar Aberto / Dia Mundial Sem Carro (Rio de Janeiro)
14/10 – Pedal Sonoro Ploc 80
11/11 – Pedal Sonoro Trilhas de Cinema
09/12 – Pedal Sonoro Retrospectiva 2018
15/12 – Bicicletada + Festa de 5 anos do Pedal Sonoro

COMUNICAÇÃO

Produzimos sistematicamente conteúdo em fotografia, imagem, vídeo e áudio para alimentar nossas redes sociais. Marcamos presença no Facebook, Instagram, Youtube e Telegram compartilhando conteúdos exclusivos e de terceiros: notícias e informações relevantes pra quem pedala!

Na Rádio Pedal Sonoro, os ciclistas de Niterói e de todo o Brasil, mandaram o recado na série fala ciclista, veiculada durante toda a programação.

 

INCIDÊNCIA POLÍTICA

Como de costume, o Pedal Sonoro cumpriu um papel fundamental na politica municipal, cobrando exaustivamente do poder público o cumprimento dos compromissos assumidos por esta gestão através da Carta Compromisso pela Mobilidade Ativa / Bicicleta Nas Eleições 2016. Também buscamos dialogar com o programa Niterói de Bicicleta da Secretaria Executiva, estagnado desde 2016 e que, apesar de uma nova coordenação, absolutamente nada fez pela ciclomobilidade ao longo de todo este ano.

barra2

Com o apoio dos mandatos legislativos de Bruno Lessa (PSDB), Paulo Eduardo Gomes (PSOL), Sandro Araújo (PSB) e Talíria Petrone (PSOL) encaminhamos diversos ofícios aos gestores municipais cobrando segurança para quem pedala na cidade, raramente respondidos e jamais atendidos pela Prefeitura de Niterói.

Não nos omitimos e acompanhamos de perto os trágicos episódios envolvendo ciclistas em nossa cidade, como atropelamentos fatais e acidentes recorrentes, participando de diversas reportagens jornalísticas, cobrando a responsabilidade e indicando soluções junto aos gestores municipais.

AGRADECIMENTOS

Celebramos com entusiasmo a parceria firmada com a Secretaria das Culturas, Fundão de Artes de Niterói e a administração do Teatro Popular Oscar Niemeyer para a realização da CicloExperiência.

Agradecemos imensamente às dezenas de pessoas que colaboraram com os crowndfundings realizados para viabilizarmos a CicloExperiência e a participação do músico Plá Curitiba no Bicicultura Rio 2018.

Nossa gratidão à Casa Fluminense, ao ICS – instituto Clima e Sociedade, ao Museu do Ingá, ao Centro Cultural Paschoal Carlos Magno, ao Cantinho da Batata e a Coordenadoria de Trânsito da Guarda Municipal, assim como a todas as iniciativas e coletivos que nos apoiaram este ano.

Por fim, agradecemos à parceria e o apoio da Amazonas e Garage Bike.


Contamos com a sua colaboração para seguirmos em nossa luta, promovendo a bicicleta como meio de transporte, colaborando para a mobilidade sustentável das cidades, e conscientizando os ciclistas a respeito de seus direitos e deveres.

 Que venha 2019!